sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

CORREIO SENTIMENTAL


Uma mãe desnaturada escreve a pedir conselhos sobre como lidar com a sua filha. Se não sabe como lidar com a sua família, escreva-me que eu sou a pessoa indicada, já que a minha é um precioso ramalhete vindo de Marte. Já agora, um recado para eles: 89874xlkajh54657uqywi879!


Querida Tia Manana:


Sou uma mãe de meia-idade de uma filha adulta que vive comigo. É óbvio que não posso, não quero, nem devo imiscuir-me na vida da minha filha e, muito menos, nos seus horários. Acontece, porém, que saio para o trabalho de manhã cedo e ela trabalha muito em casa. Quando chego, à noite, ou ela vai, finalmente, ver gente, o que eu já fiz durante todo o dia, ou se mantém no seu quarto, telefone, televisão, computador. Nestes entretantos, eu estou, muitas vezes em estado semi-comatoso, na minha saleta de estar. Tudo isto seria normal se entre ambas não houvesse diálogo, se não gostássemos de trocar ideias ou ouvir a opinião uma da outra, o que não é o caso.

Com esta vida de guarda-nocturno e mulher-a-dias, mal acorda a minha filha liga-me, cheia de entusiasmo, para me contar as últimas. A essa hora já eu estou a trabalhar a todo o vapor, com a cabeça programada para o que estou a fazer que, normalmente, é para ontem. Daí que a despacho, mais ou menos, não fixo o que ela me diz e posso parecer, até, desinteressada das suas coisas, o que também não é o caso.

Venho pedir à Tia Manana que me dê uns avisados conselhos para que eu não responda à minha filha “Agora não, que estou numa reunião!”, “Tá bem, depois contas-me isso logo”. Ou, em alternativa, “Mas quem é esse, filha, nunca lhe ouvi o nome!” e ter como resposta “Então eu não te disse que eu e o Zé íamos ter uma conversa com ele e te explique pela 4ª vez quem ele era?”


Desde já grata,

Mãe Aparentemente a Leste


___________________________________


Cara "Mãe Aparentemente a Leste",


Pelo que me conta, a sua filha deve ser uma criatura de uma enorme genialidade e "brilhanteza" (esta palavra existe ou foi a minha amiga Madalena que inventou?). Os génios têm os seus próprios timings que devem ser respeitados de forma sagrada. Essas respostas que dá à sua filha são enormes faltas que revelam que está a subestimar a dita genialidade. Aponte. Compre um caderninho com capa de pele de crocodilo e anote os nomes dos amigos e compromissos da sua filha para que, da próxima vez não se perca nesse seu universo que a atira para um estado semi-comatoso.

Já agora, para colmatar essas falhas, ofereça-lhe um portátil xpto. Se calhar o computador da sua filha está muito lento e, se lhe oferecer um mais rápido, ela não fica tanto tempo à frente dele.


Felicidades

Tia Manana


P.S.: Endireite as costas!

3 comentários:

Mãe Aparentemente a Leste disse...

Querida Tia Manana
Parece que me leu o pensamento! Já lhe ofereci o tal caderninho (de pele de crocodilo e tudo!), agora é só esperar que mo devolva devidamente preenchido.
Acho que vou optar por me oferecer a mim própria um portátil xpto- assim consigo gerir ambas as agendas e mandamos e-mails uma à outra a contar as últimas.
Obrigada.

PS:Arrume o quarto!

Anónimo disse...

Caras Mãe aparentemente a Leste e Tia Manana,

Não me perguntaram, mas como sou opinativa de sobremaneira (expressão que adoro!) e, regra geral, não me apetece contribuir para o PIB nacional Às sextas à tarde ( e segundas de manhã), aqui vai uma pérola da minha imensa sabedoria:

Para mamãe meu conselho é: mande sua filha para fora de casa, com um portátil xpto debaixo do bracinho...vai ver que não só nunca tocará nele para comunicar consigo, como virá com mais frequência a casa, com saudades do regaço materno.
Palavra de filha aparentemente descanturada que tornou-se declaradamente melhor depois de abandonado o ninho.

Filha aparentemente marciana: almoce com sua mamãe e mata dois besugos de uma cajadada só: almoço de borla e conversa em dia!

E agora, quem é que tem "brilhanteza" quem é!? :)

Naranja

Anónimo disse...

Dá-le!

Gostei muito desta troca de ideias, e especialmente dos pss. :)

Tenho um imbróglio parecido que espero resolvê-lo para breve.

T.

Arquivo do blogue