segunda-feira, 30 de março de 2009


Estou farta de ouvir os senhores da Igreja a falarem de preservativos. Faz tanto sentido como futebolistas a discutirem literatura.

3 comentários:

Maldonado disse...

Essa gente não se manca! :(

Anónimo disse...

Mas afinal para quem é que falam os senhores da Igreja? Não é para os que dela fazem parte?
Os que não pertencem não têm que se preocupar com o que os ditos senhores dizem, porque não jogam com as mesmas regras sequer estão sob o jugo de tal "gente que não se manca".
Os que pertencem (chamemos-lhes católicos) das duas uma, ou aceitam e cumprem o que lhes é proposto, ou então não...
Foi por isso que Deus (para uns), uma entidadde superior (para outros) ou simplesmente nada nos dotou de livre arbitrio.
Mas acima de tudo não nos esqueçamos que a Igreja, enquanto instituição é feita por e de homens e, já diziam os latinos, "errare humanum est" logo temos é que discernir de qual o melhor caminho para a nossa vida, se aceitamos ou não as propostas que nos são feitas já é uma questão pessoal. Logo, não passível de criticas de terceiros.
Felicidades

Mamãe disse...

Juro que não foi Mamãe que fez o comentário anterior. Sou do tempo em que o livre arbitrio era tido mais ou menos como tanga e o que definia o comportamento era herança genética e ambiente!