quarta-feira, 17 de março de 2010

"CHOURIÇOS DE SANGUE"


Foi-me sugerido que desenvolvesse uma ideia para uma série de vampiros mas, como sabem, o que não falta para aí são séries de vampiros, que pouco têm a ver com a nossa cultura. De que maneira é que o espectador português se poderia identificar com os vampiros (insira a sua piada política aqui)? Foi então que decidi pegar na linha do que tinha feito anteriormente com a série do Exorcista (ler aqui) e criei "Chouriços de Sangue", a primeira série de vampiros verdadeiramente portuguesa.


A acção de "Chouriços de Sangue" tem lugar no Baixo-Alentejo, onde o Sol castiga o comum dos mortais e atrapalha muito a vida de um jovem vampiro, Gaudêncio, que se apaixona por uma bela ceifeira. O amor de Gaudêncio é correspondido, mas o pai de Agostinha não a quer deixar saír à noite - apesar de ela ter 32 anos e carta de condução - e ele só sai das aulas às 22.30h porque frequenta o ensino nocturno.

Para além do pai de Agostinha e do desafio da luz solar, o jovem casal enfrenta também os comentários dos habitantes da vila, que nunca se habituaram ao aspecto de Gaudêncio e lhe chamam "o Marilyn Manson de Mértola".

A revolta silenciosa de Agostinha e Gaudêncio culmina com a abertura de uma produção de enchidos que, provavelmente, não seria aprovada pela ASAE. De que serão feitos estes misteriosos chouriços de sangue?



Post dedicado ao "Filho da Doutora da Farmácia" ;), pelos 25% de inspiração!

2 comentários:

Mamãe disse...

É evidente que a Agostinha fez um pacto com o seu Gaudêncio,com vantagens para ambas as partes. Pela calada da noite, a Agostinha senta-se ao volante da pick-up do pai em direcção à casa do Gaudêncio para onde já onde atraiu, previamente, uma jovem e corada moçoila, companheira da ceifa. Concluida a transfusão pelo Gaudêncio, a Agostinha utiliza o material excedentário para fazer chouriças de sangue que distribui pelos talhos e supermercados de Estremoz e Elvas, regressando à casa paterna antes do alvorecer. O problema é que a continuar esta indústria, sem recorrer a apoios comunitários, a Agostinha acabará por falir ou deixará de ir à ceifa para dormir de dia.

Ricardo disse...

LOL LOL LOL
Demais! :D